Enegrecendo as redes: o ativismo de mulheres negras no espaço virtual

Renata Barreto Malta, Laila Thaíse Batista de Oliveira

Resumo


O presente artigo aborda os contornos que o feminismo negro brasileiro tem adquirido com a sua inserção nas redes sociais e o alcance e a multiplicação de informação através do compartilhamento de seus textos políticos. Tem como um dos seus focos a visibilização de histórias de mulheres negras antes invisíveis não só na internet, mas também nos meios de comunicação hegemônicos. Para embasar a reflexão aqui feita serão utilizados aportes de feministas negras como Sueli Carneiro, bell hooks, Luiza Bairros e Angela Davis.

Palavras-chave


feminismo negro; mídias digitais; ativismo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/rg.v16i2.811

Apontamentos

  • Não há apontamentos.